sábado, 20 de dezembro de 2014

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Nove de Dezembro de Dois Mil e Catorze

Ainda não consigo reagir. Talvez, porque parte de mim ainda anseia uma mudança. Parte de mim ainda pensa num futuro diferente, onde eu e tu somos a primeira pessoa. Tudo podia ser tão mais simples, mas adoras complicar, não adoras? Mas, apesar das mil e uma conversas sobre o mesmo, ficam sempre coisas por dizer, perguntas por fazer. "Tens medo de te apaixonar?", "Se pudesses ter qualquer coisa do Mundo à tua maneira, o que escolherias?" ou, ainda, "Se morresse amanhã, o que farias hoje?". Perguntas tão simples, mas tão complicadas. Perguntas, cujas respostas, são capazes de deixar a pessoa a remoer durante meses, anos até. Perguntas que causam arrependimento eterno, mas, a verdade, é que só vais aprender quando cometeres os teus erros. Por isso, erra, arrepende-te rápido e muda ainda mais rápido. Só gostava que, um dia, soubesses que podes contar comigo. Sempre. Eu e tu contra o Mundo, lembras-te? Hoje prometo-te isto, hoje é tudo o que te posso dar. Fica a esperança que, num futuro breve, me dês a resposta que preciso.

- MM -

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Stuff in life

"Where's the good in goodbye?
Where's the nice in nice try?
Where's the us in trust gone?
Where's the soul in soldier on?"

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Hoje mostrei parte do blog a alguém, fui demasiado transparente e ela ficou surpreendida. Gostei.

domingo, 30 de novembro de 2014

...


Volta atrás uns meses. Coloca-te no final do ano passado: lembras-te? Lembras-te daquilo que pensaste que pretendias alcançar este ano? Lembras-te dos sonhos que tinhas? Dos pedidos que fizeste? Das resoluções que tomaste para chegares ao fim deste ano com aquilo que te realiza e feliz te faz?

Tens um mês. Tens um mês para ainda realizar os desejos deste ano. E os que ficaram dos anos anteriores. Tens um mês para colocar a vida no sítio dela. Tens um mês para arregaçares as mangas e te dares ao trabalho de tentar. Tens um mês para chegares ao fim com um "consegui" no coração. Tens um mês para ainda brindar com um "foi desta" no olhar. Tens um mês para ganhar um sorriso de "eu mereço" que te vai acompanhar.

Tens um mês. Igual a tantos outros.
Faz com que seja o mês perfeito.

Beautiful Unfinished


Sunday raindrops
Clock goes tick, tock
I hate myself for staring at the phone
Kept all your texts, can’t erase them
I’d call you up but I know you’re not alone

I know that I should not hold on
So why can’t I let go

‘Cause every time I’m with you
Somehow I forget to breathe
You got me like a rag doll
Now I’m dancing on your string
And I keep trying to figure out who you are to me
But maybe all that we were meant to be
Is beautifully unfinished
Beautifully unfinished

You left your kiss like a bruise on my lips
Your fingerprints are tattooed on my skin
And hush now don’t cry, build your walls high
And don’t you dare come creeping in

‘Cause you’re the one that I can’t lose
You’re the one that I can’t win
‘Cause every time I’m with you
Somehow I forget to breathe
You got me like a rag doll
Now I’m dancing on your string
And I keep trying to figure out who you are to me
But maybe all that we are meant to be
Is beautifully unfinished

And I hate you and I love you
And I wish you’d go away
And I hate you and I love you
And I wish that you would stay

‘Cause every time I’m with you
Somehow I forget to breathe
You got me like a rag doll
Now I’m dancing on your string
And I keep trying to figure out who you are to me
But maybe all that we are meant to be
Oh, beautifully unfinished
We’re beautifully unfinished

https://www.youtube.com/watch?v=E5CbplpDe4k

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Longe da perfeição

Hoje é daqueles dias. Dias estes em que as pessoas deviam parar de falar mal dos outros e olhar para elas. Verem que estão bem longe de serem perfeitas. Se não têm nada a dizer, então calem a boca. Reflictam, olhem à vossa volta e vejam se são assim tão diferentes dos outros.

- MM -

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Uma vez não são vezes


Qual é a tua cena? Tens medo? Eu também tenho. Já deixei várias vezes certas incertezas e adversidades da vida meterem-se no meu caminho, a distância principalmente. Mas depois apercebi-me que isso não podia acontecer, não estava a ser sincera comigo mesma. É difícil mentalizarmo-nos disto, mas quando te mentalizas já está. Não há volta a dar, pois quer corra bem ou mal, correu. Se há cena que não podes deixar meter-se no meio é esses "what if's". Se queres luta por isso, porque um dia mais tarde pode ser que querias e já não possas ter. Dar tempo ao tempo é bom sim, mas é preciso dar vida ao tempo também, não tirá-la.Tirá-la é pior, tem danos irreversíveis, alguns passam, mas demoram (não queiras testar).
Porquê esse medo todo? Somo jovens, amamos, erramos, aprendemos e voltamos a errar. Já alguém te disse que gostava de ti? Não? É por isso que tens tanto medo de avançar? É por isso que não sabes como reagir? Se não sabes aprende, erra e aprende, conta comigo. Agora, uma coisa é certa, não te enganes. Não enganes o teu coração e um dia mais tarde não te arrependas do que deixaste por dizer ou fazer. Não importa como a nossa história vai acabar, mas digo-te, prometo-te, que no que depender de mim vamos ser eu e tu para sempre. Amigos ou mais do que isso, eu vou estar lá sempre. É das tuas últimas oportunidades, erra e aprende ou acerta e aprende. 


- MM -



"Não estás bem assim?"


"Não estás bem assim?"
"Estou."
"Então pronto, eu também."


Quando é que percebes que não se trata de estar bem? Eu estou bem, mas podia estar muito melhor. Podias saber reagir a muitas coisas, a tudo quase. Tudo isto que eu estou a escrever devia dizer-te pessoalmente, mas as palavras falham-me. Eu sei, é a ironia do destino. Falo tanto, mas quando é necessário, as palavras fogem a sete pés. Quando é que tu percebes que eu também tenho medo do futuro, do que virá? A incerteza não é fácil, mas não é fácil para ninguém. Nem para mim nem para ti. Nem para a Maria ou para o João. O meu maior medo é o "tarde demais", a fatalidade da incerteza e dos receios. Se eu queria estar contigo agora? Queria, quero. Quero estar contigo a cada instante e poder dizer-te tudo agora, porque amanhã as palavras falham-me e a incerteza trai-me.

- MM -

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Às vezes

Às vezes é difícil. Às vezes podias ser uma melhor pessoa. (Não que não o sejas, mas podias pôr de parte esse orgulho.) Às vezes podes ser um pouco menos casmurro. Às vezes podias-me abraçar. Às vezes podias dizer o que sentes. Às vezes podias sentir mais. Às vezes podias falar menos. Às vezes podias perceber a importância que tens na minha vida. Às vezes podias não ter problemas de afecto comigo. Às vezes podias-me dar mais valor. Às vezes podias mostrar mais orgulho em mim. Às vezes podias não falar em código. Às vezes podias parar o tempo. Às vezes podias saber reagir. Às vezes podias-me dar uma oportunidade. Às vezes podias-nos dar uma oportunidade. Às vezes podias, finalmente, admitir. Mas às vezes é difícil.


- MM -

terça-feira, 11 de novembro de 2014

O coração pesa mais que a razão.

Dois meses depois ele lembra-se que se calhar eu faço falta. Sempre me disseram que nele é normal demorar mais a sentir a falta de uma rapariga, mas pensei que desta vez fosse de vez. Que não íamos pensar mais num nós, mas em amigos. Amigos para a vida. A importância que ele tem na minha vida eu sei-a bem, é um primeiro amor e primeiro amor nunca se esquece. Mas agora que pus os pontos nos i's e tentei seguir com a minha vida faz-me isto. Uma indirecta bem directa. É lixado esta cena do amor. É lixado para todos. Às vezes penso que se calhar complicamos demasiado as cenas. Mas lá está, é humano. O coração pesa mais que a razão. O orgulho lixa-nos a vida. A perfeição não existe.

- MM -

Um para o outro

Não sei o que nos une. Nunca percebi. Não sei o que nos afasta. Também nunca percebi. Mas, apesar de tudo sou eu e tu, tu e eu, nós. Nós contra o Mundo, nós sempre do mesmo lado. Nós um para o outro. Às vezes temos de abdicar de algo que gostamos demasiado para poder ter a garantida de que a pessoa certa estará sempre connosco. A verdade é que o que é em demasia cansa, cansa mais do que pensamos. Quer seja bom ou mau. E não há nada que não seja em demasia. Somos humanos, racionais sim, mas temos sentimentos. O equilíbrio entre a cabeça e o coração nem sempre é conseguido, aliás quase nunca o é. Portanto, erramos. Erramos e talvez aprendamos, ou talvez não. Pensamos demais nas consequências futuras, acabando por não aproveitar o presente. Isto é um erro. Um erro humano, um erro que todos cometemos. Estou a tentar mudar. Se estivesses do meu lado como sempre tiveste era mais fácil. Mas, lá está, erramos. Errar é humano e nós somos humanos.Se não fossemos humanos seriamos o quê? A perfeição? Algo surreal? Não importa porque somos humanos e agimos como tal. Temos sentimentos por isso as questões do coração magoam. Mas, no fim, o que importa é um para o outro independentemente da imperfeição da vida.

- MM -

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Tomorrow

Hoping tomorrow will be the day. I don´t expect anything to happen, just a few changes. I'm sick of everything. Not the people, but the things we do every single day, the places where we go. I need a little change in my life because i hate, really hate, routines. Tomorrow he's got a plan, at least I hope so. The place is different and that's a start. I could use a little differente (a lot) in my life. It's not been easy and honestly I don't know why. Perhaps because I complicate things, every thing. Hoping for changes. Hoping for tomorrow.

- MM -

...

"Ele: Ele era o meu melhor amigo...
Ela: E agora quem é?
Ele: Não tenho. Falo com cada pessoa sobre um assunto diferente.
Ela: Como não tens? Há sempre alguém com quem falas de tudo
Ele: Então és tu"

domingo, 26 de outubro de 2014

Together

Lovers or Friends? That's a question that's on my mind for a while. We can't be in the middle, not anymore. The question is what are we? What are we capable of doing for each other? We don't know how to love, how to react to the sweet little things that we say or do. But one thing I know.... We won't be making fun of each other, we will learn to deal with the bullshit of these days and most important of all, we will learn together. As lovers or as friends. What matters the most is the fact that we can lean on each other and make days better just by existing together. It's confusing not knowing what we are, if we should take chances or just stay like this. One thing I know, together is forever and that's why I love you, why I love what we have. No matter what, we are always there. You for me and I for you. We put our stubborness apart and lean on the positive things. Always, no matter what.

- MM -

sábado, 25 de outubro de 2014

Princípio do Fim

Não vás embora. É das poucas coisas que te peço. Fica. Falta tanto até chegar o dia do princípio do fim, mas o relógio anda contra nós. O tempo é uma corrida diária contra nós. Precisamos de mais tempo, que o tempo pare até. Preciso que fiques e tu precisas de ficar. Falta tanto, mas tão pouco. Afinal é a isto que chamam princípio do fim.

- MM -

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Há dias assim

Tenho a sensação de não saber o que ando a fazer neste Mundo. Às vezes tudo faz sentido, cada passo que dou dá-me mais certeza daquilo que sou. Mas hoje não, hoje o dia foi acontecendo, sem propósito. Não gosto de dias sem propósito, de dias que nunca mais chegam ao fim. Não combinam com quem eu sou. O dia pode ter sido muito preenchido, sempre com algo para fazer. Mas não gosto da sensação de vazio que surgiu sem eu dar por ela, não gosto do sentimento de que não pertenço ali e que há algo ou alguém que possa ser melhor que eu. Luto, todos os dias, para que não  hajam momentos vazios, mas hoje não tive sucesso. Apesar de tudo isto, fiz uma pausa de trinta minutos na escrita e os espaços vazios preencheram-se de felicidade, de um  sentimento que ainda estou à procura. Gostava de poder dizer que era amor, mas não sei, gostava de poder dizer que era só carinho, mas não sei. Espero um dia saber. Ate lá, sempre que essa sensação existir, não terei espaços vazios. Gosto mais assim. Não gosto do vazio. Mas depois há outra parte, não gosto de não saber o que sinto. Também, a verdade é que por medo talvez, nunca sai desse patamar, nunca fui à descoberta. Talvez um dia, até lá isto basta. Espero..

- MM -

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Sei lá

Gostava de saber como reages. Gostava de saber o que pensas. Gostava de saber como me vês. Gostava de saber o que dizes de mim. Gostava de simplificar muito mais do que simples músicas o fazem. Sei lá, gosto de ti.

- MM -

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Knowing the unknow

People talk about us. They know something is going on. But how can they know what we don't even know? It's hard do live every single day and not being able to know what we feel. Not being able to step forward or move back. Staying in the middle it's killing me. It kills me when I don't know for sure what's happening or when I don't have a solid perspective about the futute. People like us don't just talk or hang out, people like us live life in a way that we can't describe. People like us feel a lot. Our problem is that we can't find words to describe or say it out loud. People like us smile a lot, talk a lot and love life. If for any reason we start hating life I will feel sorry for the others. They say that we have the power to make everybody happy just for being by our side and that my friend, I like to say it is cumplicity.

https://www.youtube.com/watch?v=eKUSi5_wo5g&list=PLYYHjo7xYmk-zMcaEFtFnGcjG4gNw_CXt&index=17

- MM -

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Acasos com Sentido

Como é que estamos há um ano na mesma escola e nunca antes nos tínhamos cruzado? Ou talvez seja melhor dizer, como é que nunca antes tinha reparado em ti? Aquela escola tem sido a minha vida no último ano, eu adoro aquilo e faço lá a vida. Já tivemos várias actividades em conjunto e não me recordo de ti. É estranho pensar que sempre estiveste ali, mas nunca te conheci. Um ano depois, graças à sangria (fica aqui um agradecimento a cada copo que bebi), conhecemo-nos e agora já não desapareces. Não sei o fim, mas sei que tem tudo para correr bem e tenho a certeza que nos vamos dar lindamente, hoje tive a prova disso. Agora que já te conheço, venham daí essas aulas em conjunto, venham daí essas actividades e essas saídas à noite. Um brinde à noite em que nos conhecemos, um brinde a nós!

- MM -

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

O Nosso Momento

Fazes falta. O dia correu bem, mas à noite senti a tua ausência. Hoje não tivemos o nosso momento e o meu mal é esse, é habituar-me demasiado rápido a tudo. Pode estar a ser o momento mais secante do dia, mas ao saber que estás a partilhá-lo comigo já é razão suficiente para me pôr um sorriso na cara e um brilho nos olhos. Podemos fazê-lo durar a noite toda, mas saber que te estás a esforçar para o viver comigo é óptimo. Hoje nem tu, nem eu fizemos pelo nosso momento do dia acontecer e esse foi o maior erro do dia de hoje. Amanhã é outro dia. Ou será igual ao de hoje, veremos. Mas hoje, fizeste falta.

- MM -

domingo, 28 de setembro de 2014

Entrelinhas

Gostamos de improvisar. Olhamos para a vida de forma diferente. No entanto, já passámos por várias situações semelhantes. Conhecemo-nos numa festa, como a maior parte das pessoas hoje em dia. Afinal é assim que tudo começa. Litros de sangria, a causa. Obrigada por teres aparecido quando mais precisava. Gradualmente vamo-nos conhecendo. Ontem foi um bom dia, amanhã será melhor. Mas se estiveres por perto, tenho a certeza que vou ser feliz. És e serás o meu porto de abrigo. Só espero que um dia sejamos tu e eu.

- MM -

Dizem que

Dizem que somos uma família, que união é a palavra que mais nos caracteriza. Que durante estes anos vamos precisar uns dos outros, culpam-nos de uma incompetência inexistente. Mas na hora da verdade, união é sem dúvida o que nos falta. Estão um ano a ensinarem-nos valores que não os têm, pelo menos no que toca a todos. União entre grupos é fácil, chama-se amizade. Agora união entre curso? Essa não a dominam e, se há alguém que a domina, são os inteligentes, são os que deixam para trás aquilo que preferem para fazer o mais correcto. Não o mais fácil nem o mais difícil, simplesmente o mais correto. São os humildes. Pessoas destas há poucas, mas são estas que nos devem ensinar valores. Não passem um ano a ensinarem-nos frases feitas se, quando é preciso, são os primeiros a fracassar. Unam-se, como pessoas, como curso.

- MM -

sábado, 27 de setembro de 2014


Agir - Quando não estás

Nunca pensei dizer
Em como preciso de ti
E não sei o que fazer, não
Se tu estás longe,
bem longe daqui

Pois tu és bem mais
És bem mais do que eu pedi
E quando sais
Só penso em estar aí

Pois quando não estás
Pois quando não estás
Quando não estás
Falta uma parte de mim (2x)
Nunca pensei gostar
Gostar tanto de ti assim
E não posso acreditar
Que poderá chegar ao fim
Pois tu és bem mais
És bem mais do que eu pedi
E quando sais
Só penso em estar aí

Pois quando não estás
Pois quando não estás
Quando não estás
Falta uma parte de mim (2x)

Pois quando eu digo
Não não não não não
É quando tu dizes
Sim sim sim sim sim
Mas quando eu digo
Não não não não não
É quando volto a correr para ti

Pois quando não estás
Pois quando não estás
Quando não estás
Falta uma parte de mim (2x)

https://www.youtube.com/watch?v=tzTm_xHrBYQ

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Desconhecido sem -des

Isto tem tudo para correr bem, mas eu não gosto já de pensar nisso para não correr tudo mal. Vamos baixar as nossas expectativas ao máximo. Não sei se tens alguém sequer, mas algo me diz que não. Também se tiveres pronto, deixa-me sonhar. Charme, sentido de oportunidades e bom humor não te faltam. Posso ter estado contigo pouco tempo, mas sempre soubeste resolver algumas questões da minha cabeça com a tua presença. Mas eu não gosto de pensar em ti assim, não gosto se correr mal, ou se não correr de todo. Tu nem deves saber as imagens que já passaram pela minha cabeça. Mas se a perfeição existe está em ti. Por tudo aquilo que eu já disse, pelo que vou dizer e por aquilo que ficar por dizer. Qual é a probabilidade de encontrar alguém do Benfica, que oiça Tiago Bettencourt, que esteja num grupo de jovens, que faça desporto e que tenha ido às Jornadas em Madrid? Escusam de responder, é um infinitésimo. Apareceste quando mais precisava e só por isso já te agradeço. Continua a espalhar esse teu charme por onde eu passo e, juntos, trataremos do resto.

- MM -

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Só para te dizer que hoje “vi-te no comboio” dava um jeitão agora.

- MM - 

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Ponto Final

Quatro anos e alguns meses depois sei que é de vez. A nossa história finalmente chegou ao fim. Sim, digo-o com um sorriso na cara. Eu era viciada em ti, todos os dias. Não havia uma hora em que não pensasse em ti. Este vício corroia-me dia após dia, por isso estou feliz. Sei que a nossa história terminou, pelo menos por agora. Sei que posso ser feliz e "aproveitar a vida" sem estares sempre a lembrares-me que existes. O que tivemos foi muito bom, ambos crescemos e aprendemos muito durante este tempo, ambos sabemos que aconteça o que acontecer estamos lá um para o outro. Pelo menos gosto de pensar assim. Sabemos o impacto que temos na vida um do outro e amamo-nos. Por enquanto isso basta. Não posso dizer que é o fim. Não gosto de pensar no futuro. É apenas um ponto final que introduz um novo parágrafo. Agora fica a certeza de que o nada que tivemos foi muito um para o outro. Sofrer não está nos nossos planos, por isso aprendemos a amar.

- MM -

domingo, 14 de setembro de 2014

Cenas sobre o Amor

Não querias o amor. (…) Um dia ele cansa-se, pensavas. O amor não se cansa – ao contrário de ti. E inventaste línguas para não dizeres o amor. Inventaste países para te refugiares e viveres de ti. Declaraste guerras a quem passava as tuas fronteiras. (…) Reinventaste o tempo para que nunca fosse o momento certo, o minuto certo. (…) Achavas que não havia mérito em jogos viciados. Achavas que o amor era um jogo viciado: perdias sempre. (…) Um dia ele cansa-se, pensavas tu. Mas o amor não se cansa, já te disse. O amor encontra-te. E podes esconder-te na neblina da cidade, podes caminhar pelas ruas vazias de cabeça baixa, um dia ele encontra-te. Um dia o relógio marcará a hora certa. Levanta a cabeça, olha em frente: já está.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Já recomeçavas...

Quando o pessoal começa a chegar a Lisboa não é bom sinal, nada mesmo. Pelo menos não nesta altura. Significa o começo de um novo ano, de tardes com a cabeça enfiada nos livros, o lugar combinado deixa de ser o bar da praia e passa a ser a biblioteca, as viagens infernais de transportes públicos à hora de ponta... Bah! A rotina recomeça. Não gosto, sei lá. Tenho esse direito. Estamos tão bem no Verão. O lucro do país até é melhor no Verão. Porque não adoptar o clima desta época durante o ano inteiro? Seriamos o país mais rico, sem dúvida. (Se algum dia isto acontecer, reclamo os direitos de autor.) Quero o Verão e pronto. Eu sei que ainda estamos no Verão, mas quando Setembro começa, leva parte do meu Verão com ele. Não gosto, quero mais praia, mais piscina, mais viagens, mais Sol, mais noitadas, mais dias sem manhãs, mais dias contigo. Quero mais do Verão. Ó Verão, já recomeçavas...

- MM -

Porque não?

Okay, ficas já a saber que nunca fui muito boa nestas coisas. Eu nunca tive um blogue, nunca dei por acabado um texto que escrevi e, se porventura, acabei algum, nunca fiquei satisfeita com o que escrevi. Faltava sempre qualquer coisa ou havia sempre qualquer coisa a mais. Mas sabes que mais, estou a mudar algumas coisas na minha vida e ter um blogue faz parte dessa mudança. Talvez não seja do teu agrado - como disse, não sou  muito boa nisto - mas porque não? Há sempre uma primeira vez para tudo não é assim? Vai dando a tua opinião, sempre fui a favor de que comentários positivos ou negativos são sempre construtivos.

- MM -